28 de abr de 2009

Fênix sem Chamas

O pássaro acredita na possibilidade do vôo
Até a queda.
Para o pássaro nada existe a não ser a felicidade do vôo
Até o momento da queda
Tudo depois dele é desconhecido, atraente, temido
Todo desconhecido é, para o pássaro, inexplorável
Pois está além da queda
Entretanto ele sabe, o pássaro, do inexorável na queda
Ele é consciente do inadiável
O objetivo do pássaro é a queda – a barreira a ser vencida
Atravessar a barreira é mergulhar na queda
— A queda como recurso único de libertação —
Então atravessar a barreira é apenas parte do objetivo
O tiro – que provoca a queda – é o anjo da anunciação
E o pássaro cai rumo ao seu destino: a morte
O objetivo é vencer a morte do único modo possível:
Morrendo
Morrer é descobrir que as barreiras não cessam – nunca

Flávio Moreira
08/11/1990

Nenhum comentário:

Postar um comentário