27 de mar de 2010

Sobre o Diálogo

O diálogo pede solidariedade silenciosa a seus participantes, num acordo tácito em que um concorda em calar-se para que a voz do outro se manifeste. E nessa intercalação de silêncios de um e de outro vai-se construindo a troca, não só daquilo que é dito, mas também daquilo que permanece quieto, mas não oculto: o respeito, a atenção, e, principalmente, a reflexão.


Extraído de carta a uma amiga, com quem a conversa é sempre um ato de solidariedade.