2 de set de 2009

Soneto para JGR

Para os dias de tristeza e agonia
Inventei eu uma nova liturgia:
Quando a dor de estar na vida se avoluma
E a alma, como se furada de verruma,

Demanda ir-se apartando do mundo
Indo ter-se encolhida no profundo,
Obscuro e temeroso esquecimento,
Por agruras de desditoso momento,

Ponho medos e queixumes à deriva
Colho flores de poesia na palavra
Junto notas de sua lira preciosa

E agradeço em alegre contrição
Pelo bálsamo de sua criação
A meu doce São João Guimarães Rosa

13h51