25 de jan de 2010

Anulação

E, de repente, não mais que engano
- Um mal-entendido -
Palavras mal colocadas,
Apreensão dos erros cometidos.
Jogo de agressões
Mágoas... mágoas...
Verbalização tresloucada
E sem sentido. Portas cerradas.
A desistência, desinência
Da auto-anulação.
A carência e a solidão e,
De sobra, pro resto,
A dor sinonimando
A auto-flagelação.

(19-20/11/1984)

2 comentários:

  1. Nossa como vc era profundo, dramático, intenso!!! Quase uma novela mexicana!!!! hehehe!
    Brincadeira...
    Um jeito bastante realista e direto de abordar um relacionamento... Acertei o tema, ou passei longe? Dá um desconto porque eu sou café com leite pra interpretar poemas, vc sabe...rs
    beijo!

    ResponderExcluir
  2. Lucy:
    Acho que você tem razão. O tema parece de fato ser relacionamento. Lembro-me que, nesse ano, eu ainda morava no Rio de Janeiro, mas estava em São Paulo fazendo um curso técnico de 1 ano. Se não me falha a memória, o que me motivou a escrever esse texto foi a dificuldade de me relacionar com os colegas de apartamento (éramos 5 pessoas da mesma empresa, mas de setores diferentes e que não se conheciam previamente). Foi um período ao mesmo tempo difícil e gratificante.
    Obrigado pela visita e pelos comentários.

    ResponderExcluir